domingo, 13 de dezembro de 2015

Vida de montanha russa

Olá, já tem mais outro tempinho que não escrevo não é? É a vida corrida...

É curioso como a vida parece mesmo uma montanha russa; em um dia você é só sorrisos e em outro, lágrimas. São os altos e baixos para fazer o tempo passar...

Infelizmente não temos como evitar certos males, certos dissabores e muitas fatalidades, mas existem tristezas e sofrimentos que podem ser evitados, fazendo a coisa certa, ignorando o que pode fazer mal e deixando de estar ao lado das influências negativas. Tem um ditado que diz: depois da tempestade vem sempre a bonança, mas estou quase acreditando que ele está pelo avesso.


Por enquanto é só e para dizer que não devemos derramar lágrimas pelo que nos causa dor e sofrimento, não vale a pena. Devemos acreditar que Deus tem um futuro infinitamente melhor, mesmo que o presente esteja confuso.

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Coração Mole




“Quando se tem um coração que valoriza o amor acima de tudo, passamos uma falsa impressão de que somos bestas e podemos ser maltratadas, já que temos o coração mole”.
 
Ouvi isso de uma amiga e sinceramente prefiro ter esse coração assim meio bobo, mas que sente, do que viver numa frieza de sentimentos.  

Sei que ando afastada sem meus textos, mas são tantas coisas que é melhor não dizer. Se não faz bem, para que compartilhar?

terça-feira, 14 de abril de 2015

A mudança começa em você

Tem tanto tempo que não escrevo que acho que estou um pouco enferrujada, mas vou tentar. Quase sete meses se passaram desde a última postagem e de lá para cá será que muita coisa mudou? Com certeza sim... Mesmo que a gente não perceba, as mudanças acontecem a todo o momento; cada amanhecer permite um recomeço, uma reescrita da vida e uma mudança bem-vinda. Então voltarei a escrever, inicialmente de forma breve, afinal de contas os dedos estão desacostumados, falando um pouco sobre a mudança necessária em nós.

Na vida passamos por situações variadas, inesperadas, corriqueiras, comuns, banais, inusitadas dentre outras, com tentações, provações, decepções, realizações e surpresas. Nem sempre sai tudo como gostaríamos ou temos tudo o que desejamos, mas não devemos perder as esperanças, tampouco achar que nada mais dará certo.

Nas situações em que algo dá errado procuramos justificar os erros colocando a culpa nos outros, de maneira inconsciente até, mesmo que a tal culpa não tenha sido integralmente nossa, temos uma parcela de contribuição sim e precisamos ter um senso crítico para ver o que fizemos, melhorar e superar.

A primeira coisa a ser feita é parar de sentir pena de nós mesmos, sair da situação de vítima e buscar se reerguer, se fortalecer e fazer tudo diferente. No início é difícil, doloroso, e se não conseguir sozinho não hesite em buscar apoio dos amigos e familiares, não é vergonhoso pedir ajuda, principalmente se for para conseguir dar o primeiro passo...

Esqueça as tristezas do passado, aprenda a superá-las; não guarde rancor e mágoa, dê espaço para bons sentimentos; acredite em seu potencial, acredite no futuro, você tem o direito de ser feliz, acredite nisso, viva a vida e mude por você!



sexta-feira, 19 de setembro de 2014

O que escrever?


Outro dia me perguntaram se o que escrevia no blog era bom ou mau. Na hora fiquei um pouco sem entender a pergunta e questionei: em que sentido? Disseram: o que se escreve pode influenciar as pessoas, então quero saber se o que você escreve é bom ou mau? Respondi que geralmente escrevo sobre coisas que sinto, que visualizo, que acredito ou que vejo por ai, baseado em meus sentimentos e limitados ao meu conhecimento. Não procuro escrever sobre o que não sei...


Depois disso andei refletindo, revi algumas postagens e percebi que muitos textos serviram apenas de desabafo, então na verdade eu não estava ajudando muito as pessoas, talvez só a mim, externando as lágrimas do coração. Então outra questão: Para que um blog? Bem, confesso que pensei em postar coisas legais, compartilhar alegrias, experiências boas, mas na prática acabei abrindo mais espaço para desnudar o coração.


Estou numa fase de renovação com meus sentimentos, minhas atitudes e principalmente meus pensamentos; buscando enxergar a vida com mais positividade, esquecendo as mágoas e tristezas e deixando a ansiedade e pressa de lado. Ao menos tentando. É um pouco difícil no começo, principalmente quando o lado emocional anda meio desestruturado, mas com dedicação diária deixarei esses pensamentos negativos para trás. A vida tem altos e baixos, mas precisamos encontrar o equilíbrio e acreditar que oscilações são passageiras e devemos superar os obstáculos sem deixar de acreditar que o melhor está por vir, sempre.


Diante disso vou mudar um pouco o foco das postagens para que verdadeiramente possa utilizar as palavras de uma forma proveitosa para mim e para os outros; provocando sorrisos, distribuindo leveza e bons sentimentos.


Beijos no coração!

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Divã de sentimentos

Recentemente estive conversando com duas pessoas, praticamente me senti num divã de um analista (embora ainda não tenha estado em um) que me mostraram que manter uma atitude positiva diante da vida e de seus acontecimentos é a coisa mais sensata a ser realizada; que o caminho para a felicidade não está focado em outras pessoas e sim em nós mesmos, que devemos confiar em nosso taco, aproveitar somente as coisas boas e aprender com as lições recebidas para crescer, melhorar e mudar.

Precisamos valorizar nossas qualidades, cultivar bons sentimentos, deixar de fazer julgamentos e evitar criar expectativas demasiadas. O melhor é viver e se surpreender a cada conquista, a cada passo, dia após dia.

Bem, por esses dias estou refletindo sobre tantas coisas e para finalizar deixo a seguinte mensagem:


ACEITE O DIA COMO ELE CHEGA PRA VOCÊ.

Não faça pré-julgamentos, nem antecipe situações.
Faça de conta que este é o primeiro dia da sua vida, ainda meio inexperiente, sem reações pré-determinadas.
Tem gente que anda tão "armada", que dá "patada" até em quem só quer fazer o bem, desconfia de tudo e de todos, tem medo até de falar, não aceita palpites, nem ouve conselhos, se julga pronto, experiente e calejado pela vida.

E lá vem a vida dar uma nova rasteira, na verdade lições que precisamos aprender, a vida não julga, ensina o que mesmo sem saber, buscamos aprender, pois é certo que colhemos o que plantamos.

Por isso, DESARME-SE!

Ouça as pessoas, procure falar mais baixo, mais devagar, ouça a sua própria voz.
Palavras lançadas não voltam mais, e às vezes, você sabe, ferem mais do que facadas, incomodam mais do que ferrão de abelha, doem na alma e não cicatrizam tão cedo.

Por isso, hoje é o seu primeiro dia de vida, e como não sabemos se será ou não o último, melhor aproveitar da melhor maneira possível.

A vida é muito breve, um sopro na poeira do tempo, por que perder tempo com discussões tolas, descobrindo quem tem ou não razão?

A razão é aquela amiga que nos puxa pela orelha e diz:
- Vai ser feliz!

Então, ouça o conselho da razão!


(Paulo Roberto Gaefke)

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Perdida no mundo

Sinto-me uma estranha no ninho, porque o tempo passa e não compreendo a atitude de algumas pessoas. Cresci preocupada em não invadir o espaço do outro, em não receber méritos pelos feitos dos outros, em não desejar o bem alheio, em não tratar mal os outros e principalmente a ter respeito, educação e empatia. Mas o que sempre vejo e sou alvo é de pessoas que acham que isso não importa.

Existem várias máximas que dizem, não espere dos outros o mesmo tratamento, não crie expectativas, faça o bem sem esperar retorno... Mas tem horas que cansa; não consigo entender como as pessoas iludem as outras, em como transformam mentiras e falta de respeito em coisas aceitáveis ou que acham que não se importar com o sentimento alheio é algo normal.

Sinto-me um peixe minúsculo nesse mar imenso de egoísmo, desamor, descompromisso, esperteza, preconceitos, desrespeito, falta de fé e mentiras. Não consigo fingir indiferença diante dos corações de pedra que vejo e sofro: por mim e pelas pessoas que vivem indiferentes aos outros. Será que eu é que estou errada em me preocupar e me importar com o bem dos outros?


Bem, por enquanto é isso, esse desabafo, pois estou vivendo dias difíceis e obscuros, com oscilações de coisas boas e ruins e esperando a calmaria chegar para voltar a sorrir novamente.

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Balões de Esperança

Conversei pela manhã com alguém do meu passado, daqueles tempos que não voltam mais, por causa do amadurecimento e mudanças normais da vida. Fiquei contente ao perceber que com o tempo as pessoas mudam, se desenvolvem, constroem novos sonhos e criam um amanhã promissor. Esta pessoa ao perceber a minha tristeza disse para eu procurar acreditar na minha felicidade pois realmente serei feliz.

Bem, acredito que a busca da felicidade deve partir de nós, que se não dermos o primeiro passo não sairemos da situação de desespero e tristeza que nos aflige, porém nem sempre sozinhos conseguiremos e nem todo o momento encontraremos motivos para sorrir, pois é tanta mágoa, decepção e frustração que embaralha nossos olhos, emudece nossos lábios e afoga o coração de lágrimas.

Mas este momento de dor é importante, porque descobrimos que somente o que vale a pena permanece. Não vale a pena chorar por pessoas que achávamos amigas e companheiras e que foram embora, sem razão, sem sentido, as pessoas que realmente se importam conosco permanecerão em nossos corações e em nossas vidas. Não vale a pena achar que ninguém mais será sincero, diante de pessoas que usaram mentiras como se fossem realidades, um dia a verdade virá à tona, custe o que custar. Não vale a pena insistir no que causa mais sofrimento. Se Deus está tirando de nossas vidas, não é castigo, não é punição... é livramento, é preparação para dias e acontecimentos maiores e melhores.

Estou esperando esses dias melhores, e enquanto eles não chegam, vou me alegrando com os amigos leais, verdadeiros, sensatos e companheiros que ajudam na minha caminhada íngreme. Vou me cativando pela vontade, tímida no começo, de ser feliz novamente e principalmente inflando os balões de esperança de um futuro com mais amor e do jeito que eu mereço.

segunda-feira, 14 de julho de 2014

O incômodo de ter sentimentos

Hoje é mais um daqueles dias melancólicos e entristecidos no qual paro para repensar tantas coisas e tentar entender tantas outras e em que chego à conclusão de que estou cansada de derramar lágrimas em vão; só que é difícil segurá-las quando o coração está tão doído e quando se é tão sentimental.

Em minha vida, sempre fui romântica, sonhadora, sensível e sentimental, enxergava e encarava a vida com positividade, acreditando e confiando sempre nas pessoas... Volta e meia sofria uma perda aqui, uma decepçãozinha ali, mas isso nunca me trouxe maiores problemas, até que o tempo passou, a vida foi aplicando golpes cada vez mais duros e essa sensibilidade à flor da pele começou a incomodar.

Incomoda-me...

Em ver que o mundo está menos humano, que as pessoas estão se tornando mais “racionais-irracionais”, pois em nome da dita racionalidade esquecem-se do amor, empatia, bondade, esperança e piedade.
O fato de vivermos em um mundo de fraquezas, no qual as pessoas não conseguem vencer seus medos, superar os obstáculos ou não ceder às tentações. Que as aparências são mais importantes ou que a saída mais fácil sempre é a melhor, independente das consequências ou dores que possam causar.
Em assistir o amor sendo desonrado por atos fúteis, cruéis, banais, estúpidos e temíveis. Que o amor esteja sendo tratado como algo risível, decadente e sem valor. 

Em saber que a vergonha e o temor que se perderam são para coisas inescrupulosas e sem valor e que os atos de caridade, altruísmo, doação, benignidade e solidariedade são taxados como sem importância.
Em perceber a empatia sendo relegada a segundo plano, cada um advogando por si e sendo juiz dos outros sem se importar em saber dos dois lados das histórias, em procurar compreender as razões e motivos e tentar buscar conciliações.

Uma angústia que me consumia há vários meses fez com que eu percebesse que os males entendidos e desencontros causam mágoas e danos irreparáveis, que as justificativas sem sentido machucam e que a falta de respostas gera uma dor indescritível.

Bem é isso, vou esperando que o sol volte a brilhar, que os sorrisos se desenvolvam no coração, que a alegria volte a imperar e que a esperança no amor e a fé em Deus não sejam abaladas também.

Apesar de toda a tristeza, sei que Ele não me abandona, sempre envia seus anjos, na forma de amigos e pessoas que se preocupam comigo, para me fazer acreditar que dias melhores virão.

Esta foto que tirei num dia chuvoso, no qual estava triste e desiludida, me faz acreditar que ainda há esperança e que em breve a paz chegará, pois não estou desamparada... 

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Nem tudo é o que parece

Ultimamente a inspiração anda distante de mim, acredito que devido ao meu estado de espírito, mas aos poucos as coisas se ajustarão. Bem, hoje quero contar uma situação engraçada que aconteceu comigo, mas que deixou algo para refletir.

Embalada pelo ritmo da Copa decidi me preparar para assistir o jogo totalmente caracterizada, e em cima da hora fui à busca dos acessórios: Camisa amarela, bem bonita, com o 10 estampado nas costas: Resultado? Nada me agradou e optei por um top verde liso com um friso amarelo; esmalte verde e amarelo: o que aconteceu? Achei um verde que mais parece azul bebê e um amarelo que achei uma graça, no rótulo trazia a instrução COPA, ai toda animada pensei, esse amarelo vai ao menos salvar o look desse verde trágico; pintei, na hora ficou um amarelo lindo e pasmem quando o esmalte foi secando ele se transformou num laranja bem forte.


O que aprendi disso é que nem sempre o que buscamos é o que encontraremos e que nem tudo o que aparenta ser é de verdade. Mas a diferença está entre desistir ou aproveitar a oportunidade para tirar coisas boas. Temos metas, planos, sonhos e no meio do caminho a gente vai se ajustando, mudando os caminhos, mas não podemos esquecer que no final tudo dará certo, pode não ser da forma como gostaríamos, mas a gente se adapta.

Não dá para definir alguém ou uma situação pelos rótulos, títulos ou propaganda, precisamos vivenciar, sentir, experimentar para tirar nossas próprias conclusões e principalmente não se deixar iludir pela aparência, para não se frustrar com o amarelo virando laranja depois...


Vocês devem estar se perguntando, o que aconteceu com o look que não deu certo? Ah, decidi deixar assim mesmo, pelo menos fiquei com um visual exclusivo e diferente e rendeu boas risadas, principalmente as minhas. Pois é assim, aproveitando para sorrir e seguir em frente, de cabeça erguida e buscando a felicidade em coisas simples e alegres.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Atitude Positiva

Em tempos de Copa do Mundo, mais do que nunca podemos exercitar nossa força de vontade e atitude positiva. Querer vencer e superar os adversários vira praticamente um lema em nossas vidas. Mesmo com todas as dificuldades devemos manter um pensamento de alto astral, para cima, esperando que tudo mude para melhor.

Quando uma situação difícil chega às nossas mãos precisamos escolher entre deixar-se abater ou ir à luta, às vezes as lágrimas surgem bem como o desespero, mas a esperança está o tempo todo nos mostrando um caminho para enxergar a luz no final do túnel.

A gente chora, sofre, se decepciona, mas não adianta ficar esperando o milagre acontecer ou que algo bom aconteça se mantivermos nossas mentes focadas apenas no problema, vamos pensar na solução, sacudir a poeira e dar a volta por cima.

Bem, lembre-se que o tempo é o melhor conselheiro e tudo o que acontece, bom ou ruim, traz uma lição e nos fortalece. Sei que o tempo de espera pode ser longo, mas quando o fortalecimento se instala é hora de sorrir, olhar para trás e dizer: Sobrevivi!


Então é isso, vamos lembrar que tudo passa, que todo mal acaba um dia e os altos e baixos da vida vão servindo de crescimento para uma vida positiva!